sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Postagem de Natal

Olhem, eu não queria ser pessimista.
Tudo isso de Natal é muito lindo e coisa e tal. Mas eu ainda sinto um estranhamento tão grande, sempre, a cada ano que passa... Sinceramente que a vida me espanta mais que a possibilidade de enxergar um exemplar extra-terrestre. Porque eu concordo com o Ghandi, não se deve descansar enquanto houver ainda que seja um de nós em sofrimento.

Chove, e aqui bem perto, pessoas dormem na rua. Do outro lado do mundo sabe-se lá quantas centenas de pessoas no Iraque não têm luz, nem água, que dirá a ternura do Natal.

E com isso, não quer dizer que eu não veja a necessidade de estar agradecida pelo que de bom nos acontece. Mais do que nunca se tem o dever de celebrar o que há de bom.

Mas, não, eu não acho que a vida é uma festa. Não hoje, não em 19 de dezembro de 2008. Desculpe, mas eu não acho a vida bela, enquanto uma garota de 10 anos se prostituir com a conivência de sua pobre mãe; enquanto os países do norte da Europa se mantiverem firmes no ranking da pedofilia; enquanto presos forem executados com tiro nas costas; enquanto a Praça da Liberdade estiver maravilhosamente iluminada e dezenas de pessoas estiverem nas filas do SUS, sem atendimento médico, à espera da morte que com certeza, vai chegar antes do fígado, do rim, do AZT.

Eu vou abraçar as pessoas pra sempre. Eu vou amá-las até morrer. Mas até que o mundo esteja contaminado, nem que seja um pouquinho, pela fraternidade mais que pelo automóvel, pelo fastfood e pelas séries de TV, eu ainda vou acordar todo dia e achar - com alguma certeza da verdade - que estamos andando em círculos.

O mundo hoje não é um lugar melhor que no ano passado.
E isso me deixa muito intrigada, principalmente nessa época.

Por isso, pasmo, eu achava o acelerador de partículas tão imensamente fantástico. Era, quem sabe, a única chance de algo realmente novo. Claro, numa perspectiva muito ambiciosa. Ambiciosa demais.

(Perdão, aos que chegaram em busca de conforto.)

3 comentários:

Lori disse...

O acelerador de partículas vai sugar o mundo prum imenso buraco negro. Será q só assim?

enquanto dá disse...

Pois é, nessa perspectiva grandiosa da minha parte eu pensaa que ele poderuia ser um gerador de probabilidade infinita. E dentro dessas possibilidades, estaria algo como a cegueira branca do Saramago, só que ao contrário sabe? Uma luz nos olhos de todo mundo, um tempo, uma pausa, pra er, pra refletir...

enquanto dá disse...

Meu teclado tem um problema na letra V, sorry! :D