terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

encoberto

Eu descobri porque eu gosto tanto do mar.
É porque no mar, não há o que relativizar
só sobra ser
nadar pra não afundar pra sempre
gerenciar o ar pra poder ser mais lá dentro
ir à tona pra conseguir mais ar
e fazer tudo de novo.
no mar, viver é tão necessário, oprime tanto o peito,
ocupa tanto a corpo,
que a dor, o amor e tudo mais
só espreitam.
eles também precisam de ar
e de se ocupar de viver.
no mar, eu, a dor, o amor
somos todos iguais
comprimidos pelo esforço do viver.
Do viver.
De mais nada.


Nenhum comentário: