sábado, 15 de dezembro de 2012

As núvia*


Das coisas que eu sempre achei lindas, das mais simples e mais lindas, assim, de graça, só de existirem.
E talvez por isso mesmo, por serem tão bobinhas, tão livres, elas flutuem.
Que sorte a delas.

* "Ó, a lá, as núvia!" disse meu amigo Osmar, apontando as nuvens lá embaixo, num raiar de dia e de ano, lá atrás, em São Tomé, em que tantos juntos se divertiram a valer.

Nenhum comentário: