terça-feira, 10 de março de 2009

Quem déra ser um peixe



A continução de "Tudo por uma esmeralda" começa da forma mais brilhante que um filme comercial hollywoodiano poderia começar. Kathleen Turner,vivendo uma famosa escritora de best sellers, está no veleiro em que Michael Douglas usou como cavalo branco para conquistá-la. E com com uma cara absolutamente enfastiada conversa com sua editora, que também está no barco, algo mais ou menos assim:
- Agora eu entendo porque os livros sempre terminam com "E eles forma felizes para sempre". Porque, teoricamente, os personagens nunca acordam na realidade. Por isso é que eles são felizes para sempre.
Ao que a editora completa, magistralmente:
- Ora, mas por isso mesmo é que os romances são chamados de ficção!

2 comentários:

Halem Souza disse...

Bem, nem todos os livros terminam desse modo (a não ser os do tipo escrito pela personagem que K. Turner interpretava no filme - e olha do que é que você foi lembrar!)...

Ah, e muito grato pela divulvação do meu humilde blog. Um abraço.

enquanto dá disse...

Sim, cometi esse erro. Ela possivelmente falava de best sellers...
Halem é preciso que a balança da informação - e por que não da boa distração - tenda pros lados da qualidade, ne? Indico seu blog com gosto! Abraço!