segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Entram para a leitura obrigatória

Vai parecer que eu sou muito fácil, mas é bem mais difícl do que parece. Mas pode-se dizer que eu tenho muita sorte em achar gente que escreve bem sobre coisas boas. E é impressionante o quanto realmente eu acho gente nova mais interessante (ai, isso já deve ser um sintoma de que estou ficando velha...).Entendam-me, ou perdoem-me por descarar o não-dito: a gente se cria num imaginário que elege isso e aquilo como digno de respeito, quando estamos na faculdade. Lá descobrimos e elegemos nosso Olimpo científico e literário, bem como as diretrizes que nos servirão pra dizer quem nos interessa ou não, em termos bem básicos, quem permitiremos que fale, quem escutaremos e em quem prestaremos atenção. Claro, isso sempre é feito de nós para o mundo.

Não vai parecer, mas eu fico feliz por descobrir ainda(tomara que para sempre), e ainda que virtualmente (espero que nem sempre) gentes boas, novinhos, com pensamentos questionadores, próprios, insurrentes no cotidiano:

Não há pensamento raro

Já matei por menos.

Nenhum comentário: