segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Saldo do fim de semana

Dica de filme------------------------------
Sonhando acordado (The good night, 2007).

Acho que o Jake Paltrow, que escreveu e dirigiu esse filme, muito provavelmente fez terapia e analisou seus sonhos. Ou é um cara muito perspicaz ou bem informado para utilizar imagens tão condizentes com o universo dos sonhos.
Quem já analisou seus sonhos em terapia já ouviu que é possível aprender a sonhar o mesmo sonho várias vezes, partindo sempre do ponto em que ele acabou na noite anterior. Para quem nunca frequantou um divã isso é um fato quase inédito ou, no mínimo, sem digno de nota. Mas quando procuramos nos conhecer através da psicanálise ou psicoterapia, os sonhos são caminhos bastante úteis para analisar nosso inconsciente.
Nesse sentido "Sonhando acordado" traz em filme um resumo de um processo psicológico que passa pelo sonho. Gary é o legítimo paciente de um consultório de terapia, apesar de no filme isso não se realizar. Ele vive sob inúmeras coisas não desenvolvidas do passado que não o deixam viver em totalidade o seu presente. Traumas comuns de todo mundo: um relacionamento que estacionou, o sucesso que não veio, o cerceamento criativo do trabalho, a vida corrida do cotidiano. Aliás, parece que a questão que Gary precisa resolver é justamente como aprender a viver e administrar o cotidiano, que é aquilo que fica, após todos os "sonhos" da juventude.
O prato será melhor saboreado porém, como disse, para quem já deitou num divã. É hilário ver os sonhos de Gary e perceber a simbologia a que fomos apresentados no consultório (Atenção para as táticas de parar o sonho "olhe para suas mãos! olhe para suas mãos!" e para preparar o caminho do sono "Começe a correr, canse o corpo").E é lindo como o diretor usa os recursos do cinema para identificar a realidade e o universo dos sonhos. VOU CITAR UM EXEMPLO AQUI, CUIDADO VOCÊ QUE NÃO GOSTA DE SABER SOBRE O FILME ANTES DE ASSISTIR. Vou utilizar o mesmo recurso (ótimo)que o Omni, pintei as letras de branco, para ler é só selecionar o texto com o mouse: Como as várias sequências em que o personagem entra no banheiro e quando abre a porta já está no sonho ou o fato de a personagem de Penélope Cruz se chamar Melodia, uma referência ao desejo de Garry de encontrar a música perfeita que pode servir de metáforoa pra vários aspectos de sua vida.
Mas atenção: o filme é leve, inteligente e divertido. Para qualquer um que um dia já sonhou.

Nenhum comentário: