Tens aí o resumo daquilo que mais me dói

"Ai, palavras, ai, palavras,

Que estranha potência a vossa!

Ai, palavras, ai, palavras,

Sois de vento, ides no vento,

No vento que não retorna,

E, em tão rápida existência,

Tudo se forma e transforma!"


Cecília Meireles (1901 – 1964)

Comentários

enquanto dá disse…
O layout desse troço é um html esquisito e difícil de editar. Tenham paciência, amigos.
Escafandrista disse…
Com a Cecília eu não discuto.

Postagens mais visitadas